Genuína Umbanda - Todos os direitos reservados. 2007 - 2019

São João Batista - Xangô - I

24 de Junho

Autor: Lara Lannes

Equipe Genuína Umbanda

www.genuinaumbanda.com.br

 

São João Batista, voz que clama no deserto:

“Endireitai os caminhos do Senhor...

fazei penitência, porque no meio de vós

está quem vós não conheceis e do qual

eu não sou digno de desatar os cordões das sandálias”,

ajudai-me a fazer penitência das minhas faltas

para que eu me torne digno do perdão

daquele que vós anunciastes com estas palavras:

“Eis o Cordeiro de Deus, eis aquele que tira o pecado do mundo”.

São João, pregador da penitência, rogai por nós.
São João, precursor do Messias, rogai por nós.
São João, alegria do povo, rogai por nós.

Que assim seja!

O Orixá Xangô é sincretizado, em uma de suas vibrações com São João Batista, tendo como falange a linha do Oriente.

 

São João Batista era primo de Jesus em segundo grau, porque Isabel, sua mãe era prima de Maria, mãe de Jesus. Conforme se tem conhecimento João e Jesus eram muito amigos e companheiros, com pouca diferença de idade entre eles. Na verdade, João Batista veio como precursor e um dos espíritos destinados a preparar o ambiente terreno para a reencarnação do Mestre Jesus. Foi aquele que o batizou às margens do Rio Jordão.

 

Com a implantação do catolicismo, a Igreja passou a incentivar seus fiéis a acenderem fogueira para seus Santos (São João, São Pedro, Santo Antônio) e não mais para suas crenças e rituais pagãos para a comemoração do solstício de verão, no continente europeu, surgindo daí a ligação de São João Batista com Xangô, e também por seu caráter aguerrido e de extrema firmeza.

 

Xangô, quando se desdobra na vibração da Linha do Oriente vibra, na maioria dos casos, nos trabalhos de cura.

 

Em seu aspecto original, na energia emanada da Força Divina e denominada Xangô, é o Orixá que rege a Justiça, que decide sobre o bem e o mal. O Orixá ao qual Zambi entregou o mundo para que dele cuidasse, sendo Pai de todas as cabeças, e representando sua força pela rocha, pelas pedreiras, símbolo de fortaleza e perpetuidade.

 

Tudo que se refere a estudos, as demandas judiciais, ao direito, contratos, documentos trancados, pertencem a Xangô. As entidades que trabalham na vibração de Xangô atuam preferencialmente no campo da razão, ditando o senso de equilíbrio e equidade no indivíduo, para que este desperte para os reais valores da vida e do processo evolutivo no qual estamos inseridos como criaturas em constante evolução.

 

Xangô é, ainda, o Orixá dos raios e tempestades, do trovão, exímio controlador das faíscas e descargas elétricas, já que controla as forças da Natureza. Tanto é assim que é representado como o morador do alto da pedreira, carregando o Livro Sagrado (As Escrituras), sendo o único Orixá que sabe ler, bem como carrega as Sete Chaves da Sabedoria.

 

Kaô Cabecilê, Pai Xangô!

voltar.jpg
logo-980x377-2.jpg