Genuína Umbanda - Todos os direitos reservados. 2007 - 2019

23 de Abril - Dia de São Jorge

Salve Ogum! Ogunhê!

Autor: Lara Lannes

Equipe Genuína Umbanda

www.genuinaumbanda.com.br

 

Jorge nasceu na Turquia e se mudou ainda criança para Palestina junto com a mãe e após a morte do pai em batalha. Sendo uma mulher de posses, ela o educou com esmero e ao crescer ele escolheu o caminho militar, militando no exército romano recebendo honrarias do Imperador.

 

Aos 23 anos transferiu-se para Roma aonde exerceu a função de Tribuno Militar. Com a morte da mãe, herdou todos os bens e mudou-se para mais perto do Imperador romano. Com esta proximidade, pode constatar a crueldade do mesmo com o povo cristão, distribuiu toda a sua riqueza entre os pobres e se empenhou em sua defesa.

 

Quando Diocleciano falou de seus planos para matar todos os cristãos, no dia marcado para o Senado apoiar esta decisão, Jorge se levantou dizendo que não o apoiaria porque todos os ídolos adorados nos templos romanos eram falsos deuses. Frente à surpresa de todos Ele defendeu a Fé em Jesus Cristo deixando claro que acreditava nesta Verdade e a defenderia frente a todos.

 

Com estas palavras Jorge se colocou contra o Imperador que tentou fazê-lo desistir torturando-o de muitos modos. Entre uma sessão e outra ele era levado ao imperador que lhe perguntava-se renegaria Jesus em favor dos Deuses Romanos. Mas Jorge reafirmava sua Fé, conseguindo com o tempo que muitos romanos o apoiassem. inclusive a esposa de Diocleciano que se converteu ao Cristianismo.

 

Frente ao fracasso das suas tentativas, O Imperador mandou degolá-lo no dia 23 de abril de 303 D.C., na Ásia Menor. Posteriormente o Imperador Cristão Constantino mandou construir uma grande Basílica aberta ao público para que a devoção ao este Santo se espalhasse por todo o Oriente.

No sincretismo, São Jorge é Ogum, orixá que simboliza a idéia de trabalho, de luta, de guerra, de vitória. Na natureza, liga-se aos metais. Representa a linha das demandas da fé, das aflições, das lutas e batalhas da vida. Ogum protege com sua espada e sua lança os filhos de fé. Quando incorporados, os falangeiros dessa linha mostram andar enérgico e falam de maneira forte, mostrando energia e vivacidade.

Os pontos cantados para louvar Ogum trazem também essa energia, todos eles ressaltando suas qualidades de bravo guerreiro e vencedor de demandas. É comum vermos nos pontos cantados para Ogum a junção dos vários elementos da natureza sendo louvados quando invocamos seus falangeiros.

 

Quando o filho de fé invoca o Orixá Ogum, está invocando forças que o levem a lutar e vencer sobre as forças que o querem levar ao declínio, agindo a energia de Ogum como elemento revitalizador que possibilita sua ascensão, sua conquista ao fim desejado. Assim como Oxalá, Ogum também é força, é misericórdia, é socorro.

 

Ogum vibra sua energia nos Caminhos, nas entradas, sempre vigilante, aplicando a Lei Divina com rigidez e firmeza, conforme a atitude daquele que o leva a agir.

 

No candomblé, Ogum é o orixá ferreiro, senhor dos metais. O próprio Ogum forjava suas ferramentas, tanto para a caça, como para a agricultura, e para a guerra. Na África seu culto é restrito aos homens.

voltar.jpg
logo-980x377-2.jpg