Genuína Umbanda - Todos os direitos reservados. 2007 - 2019

O Batismo na Umbanda

Autor: Lara Lannes

Equipe Genuína Umbanda

www.genuinaumbanda.com.br

 

Tem importância primordial, uma vez que é visto como uma forma de apresentação, de consagração a Deus do espírito encarnante na matéria que está habitando na vida presente. Com o ritual do batismo reforça-se a ligação do espírito encarnado com o Pai Divino, já que se firma o guia de luz, ou Anjo da Guarda, que irá acompanhar a criança por toda a sua vida.

A importância do ritual do batismo fica demonstrada quando Jesus instituiu o Batismo logo no início da sua pregação, quando se submeteu ao batismo pelas mãos de João Batista, às margens do Rio Jordão Antes do batismo de Jesus, João Batista não o fazia como sacramento, mas, quando Jesus abençoou as águas do Jordão com sua presença e que a voz do Pai se faz ouvir: "Este é meu Filho bem amado, em quem pus minhas complacências", e que o Espírito Santo aparece sob a forma de uma pomba (como representação da visão da Santíssima Trindade). A instituição do batismo foi confirmada por Jesus quando Ele diz a seus Apóstolos: "Ide e ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. (Evangelho de São Mateus, o Capítulo 3, Versículo 13.)

 

Também foi Jesus quem estipulou a fórmula a ser utilizada durante o ritual: “Eu te batizo, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.”


Além do batismo da criança na Umbanda, pode-se também realizar o batismo do médium que decide abraçar a religião umbandista. Nesse caso do novo batismo, o dirigente da Casa promove um ritual de consagração e reativação do batismo, porém considerando como válido o primeiro batismo feito em outra forma de culto religioso.


No momento em que é realizado o médium reforça sua ligação com seus Orixás, guias e entidades, assumindo um compromisso de trabalho e evolução dentro da religião a qual se consagra.

Quando se realiza o batismo na Umbanda, escolhem-se os padrinhos, podendo ser pessoas da escolha do médium ou dos pais da criança batizada, mas também podendo recair a escolha sobre alguma entidade atuante na casa.

No sacramento do Batismo na Umbanda, são utilizados na maioria dos terreiros os elementos: água, fogo (chama da vela), sal, incenso, pemba e óleo para unção.

Na Umbanda usa-se tanto a forma de aspersão como também de imersão. O ritual pode ser praticado dentro do próprio terreiro como também na cachoeira, local de maior vibração da vibração de Oxum. Em alguns terreiros, por orientação do Chefe da Casa, o batismo pode também ocorrer na praia, sendo então os filhos consagrados a Iemanjá.

Os iniciantes na Umbanda, assim como no Catolicismo escolhem padrinhos para serem seus orientadores no seu contato com a espiritualidade; só que na Umbanda, a escolha dos padrinhos pode recair nas entidades ou guias da Umbanda, os quais estarão presentes à cerimônia através da incorporação em seu médium.

Assim como em todos os atos do ritual umbandista, o batismo segue instruções particulares da linhas e falanges que comandam o templo umbandista e a forma como dirigem os trabalhos do templo.

Alguns pontos cantados a serem entoados sob as ordens da Entidade-Chefe da casa na realização dos batismos:

"Iemanjá cadê Ogum,
 foi com Oxóssi ao rio de Jordão,
 foram saudar São João Batista,
 e batizar Cosme e Damião..."
 
 “ O rio verde, o Rio de Jordão
 O rio verde, o Rio de Jordão
 João batizou Jesus
 Jesus batizou João.
 Os dois foram batizados
 Nas águas do Rio Jordão.”

“Na casa de Oxalá,
 filho vai se batizar.
 Batiza ele, batiza ele.
 Batiza com ordem de Deus.
 Batiza ele, batiza ele
 Ele também é filho Seu.
 Batiza ele, batiza ele
 Com as águas cristalinas.
 Batiza ele, batiza ele
 Com a pemba de Oxalá.
 
 Batiza ele, batiza ele
 Meu Pai chefe de conga.
 Batiza ele, batiza ele
 Filho quer se batizar.

voltar.jpg
logo-980x377-2.jpg